Ao utilizar este website está a concordar com a nossa política de uso de cookies. Para mais informações consulte a nossa Política de Privacidade.

OK

As malhas circulares são a verdadeira especialidade da ITJV. Neste artigo, damos-lhe a conhecer exatamente o que são, como são criadas e ainda as suas principais características.

Se tem interesse em saber tudo acerca de malhas circulares e em descobrir se estas são uma boa opção para si, então continue a ler.

 

O que são malhas circulares?

Na prática, as malhas circulares são o resultado final do processo de malharia. A sua grande aceitação por parte dos consumidores está maioritariamente associada ao seu toque suave na pele – uma das suas principais características.

Por isso mesmo, uma grande parte dos artigos criados em malha circular são precisamente os artigos cujo contacto com a pele é maior.

A roupa desportiva, a moda de praia ou os pijamas são exemplos disso mesmo.

Mais recentemente, o mundo da moda tem também vindo a adotar cada vez mais um estilo urbano e o crescimento do segmento de mercado “athleisure” tem também beneficiado de algumas das suas vantagens: são peças leves que permitem que o corpo respire e que o utilizador mantenha a sua flexibilidade de movimentos.

Contudo, estas características também se aplicam em outras áreas, como é o caso das áreas de decoração ou de artigos têxteis para a casa, como a roupa de cama. Isto acontece precisamente devido à sua capacidade de fazerem circular o ar e de regularem a temperatura corporal com mais eficácia.

Mais em baixo, vamos abordar esta e outras características, mas antes, vejamos como são criadas.

 

Como são criadas as malhas circulares?

As malhas circulares são criadas a partir de uma máquina especializada chamada de tear circular. Esta é uma máquina de porte industrial inventada exclusivamente para o efeito. 

O tear circular tem a forma de um círculo, no qual um cartucho de agulhas percorre toda a sua circunferência tricotando as malhas circulares a partir de fios compostos por fibras naturais, artificiais ou sintéticas.

A estrutura desejada é introduzida no programa de máquina que regula a tensão que é colocada nos fios e a forma como estes devem ser entrelaçados. É a partir destas definições que produzimos os nossos artigos, mas é também por aqui que se atingem as características das malhas circulares.

Características das malhas circulares

Uma das principais características das malhas circulares é o modo como os fios se entrecruzam, na forma de um laço.

Assim, os fios, mesmo que entrecruzados, não apresentam um ponto de ligamento fixo. Sem esse ponto, as malhas circulares ganham as seguintes características:

Flexibilidade

Porque um ponto fixo não existe, as malhas circulares sustentam-se a si próprias. Isto significa que se podem mover entre si, apresentando uma maior resistência à força de tensão e moldando-se perfeitamente ao corpo humano.

Elasticidade

A inexistência de um ponto fixo é também a razão pela qual se tornam mais elásticas. Porque se movimentam entre si, depois de um momento de tensão, voltam à sua posição inicial.

Respiração

Como vimos em cima, as malhas circulares deixam que o ar circule e permitem a troca de calor com o ambiente em redor. Em temperaturas mais altas, o calor do corpo é absorvido pelo ar, enquanto em temperaturas mais frias funcionam como um isolamento térmico, permitindo que o corpo se mantenha quente.

Estabilidade

Neste caso, a estabilidade refere-se à dimensão do produto final, seja uma peça de vestuário ou uma peça de decoração. Uma vez atingida, a dimensão do produto final manter-se-á ao longo do tempo.

 

Tipos de malhas circulares

As malhas circulares podem ser criadas em três tipos diferentes, dependendo das fibras dos fios com que são tricotadas.

No caso da ITJV, trabalhamos com três tipos de fibras diferentes: as fibras naturais, as fibras artificiais e as fibras sintéticas.

 

Malhas circulares naturais

As malhas circulares naturais são produzidas a partir de fibras naturais. A ITJV trabalha com cerca de uma dezena de fibras naturais, desde o algodão até à seda, passando pela lã ou a fibra de urtiga. 

Malhas circulares sintéticas

Com as malhas circulares sintéticas acontece o mesmo. Ou seja, são produzidas a partir de fibras sintéticas como o Poliéster ou o Elastano, mas também o Lurex ou a Poliamida.

 

Malhas circulares artificiais

Dentro do tipo artificial, encontramos algumas das fibras mais tecnologicamente avançadas do mercado. Estas permitem-nos criar malhas circulares em SeaCell ou Tencel – Lyocell, mas também outras cujas características são muito mais específicas.

Com a Viscose FR, por exemplo, é possível criarem-se peças resistentes ao fogo. Já com a Cell Solution Protection, os artigos finais são mais indicados para contextos nos quais o contacto com a natureza é maior.

Fabricantes de malhas circulares

A ITJV é uma das fabricantes de malhas circulares mais reconhecidas no mercado português. Ao todo, trabalhamos com cerca de 30 tipos diferentes de fibras, de modo a conseguirmos responder a um mercado cada vez mais existente.

Por isso mesmo, trabalhamos também com fibras tecnologicamente avançadas, mas também com fibras que refletem a atual preocupação ambiental, como é o caso do Poliéster Reciclado, do Algodão Orgânico ou Supima, ou a Tencel – ReFibra.

Na ITJV, todas as nossas fibras estão disponíveis apenas através de solicitação de catálogo e validação de amostras. Entre em diretamente em contacto com as nossas equipas.

Compete